(19) 99769-1936  ou  (19) 3325-0902  -  contato@goflow.digital

Conteúdo deste artigo

COMPARTILHE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Conteúdo deste artigo

Formas de vender online – marketplaces, loja virtual alugada e ecommerce próprio

Se você está decidido a levar o seu negócio para a internet ou então começar um novo empreendimento através de um ecommerce, com certeza já se deparou com essa pergunta…

Como criar uma loja virtual?

É normal que surjam dúvidas na hora de decidir pela melhor opção, afinal de contas, você tem – pelo menos – 03 caminhos diferentes para seguir.

Pensando nisso, criamos este artigo para explicar como funciona cada plataforma e qual dos modelos é o melhor para o seu negócio.

Nas linhas abaixo você vai entender a diferença entre:

  • Utilizar um marketplace;
  • Alugar uma loja pronta;
  • E ter a sua própria loja.

Plataformas para criar uma loja virtual

Como vimos acima, existem pelo menos três caminhos que você pode seguir na hora de iniciar o ecommerce.

Cada um deles oferece vantagens e desvantagens que precisam ser pesadas na hora da escolha e para facilitar a sua decisão, eu listei as principais características de cada modelo.

Marketplaces

O primeiro local onde você pode começar a vender são os marketplaces, ou seja, plataformas que reúnem milhares de lojas em um só local.

Alguns exemplos de marketplaces famosos no Brasil são:

  • Mercado Livre;
  • Amazon;
  • Americanas;
  • Submarino;
  • Shopfácil, entre outros…

La, você cria uma conta como lojista e pode anunciar os produtos que você trabalha…

Esse modelo de loja virtual é bastante interessante para quem está começando e não tem muito capital e, nem mesmo, produtos para trabalhar.

Pois, você começar a vender somente com uma unidade de um único produto e não precisa se dedicar a conseguir tráfego, pois estas plataformas já possuem um bom número de acessos.

Todavia, essa facilidade tem um preço que pode impactar profundamente a sua margem de lucro.

Afinal de contas, você terá de pagar uma gorda comissão a cada venda. No Mercado Livre, por exemplo, essa taxa pode chegar a R$16% + R$5 por venda realizada.

Além disso, em um marketplace você irá concorrer diretamente com milhares de lojas em todo o Brasil.

Dessa forma, a briga pelo menor preço é constante. De modo que alguns lojistas chegam a manter sua margem de lucro a 1%, somente para conseguir o menor preço.

Isso é feito com o intuito de conseguir mais vendas e melhorar as avaliações recebidas dos compradores, além – é claro – de quebrar a concorrência.

Entretanto, mesmo com todos estes revezes, começar vendendo em um Marketplace é uma boa opção para quem não tem condições de alugar ou criar um loja própria.

Lojas prontas

Outro caminho muito utilizado por pequenos e alguns médios empreendedores é “alugar” uma loja pronta.

Esse tipo de serviço é oferecido por plataformas que fornecem modelos de lojas pré-fabricadas onde você somente irá inserir os seus produtos.

As plataformas mais conhecidas neste segmento são:

  • Loja Integrada;
  • Shopify;
  • Nuvem Shop.

Nestes sites, você pode cadastrar seus produtos e escolher um template de loja para começar a vender.

A vantagem é que você foge da concorrência desleal dos marketplaces e as taxas por vendas são menores.

Entretanto, é preciso pagar um valor mensal que varia de acordo com a quantidade de produtos e o faturamento mensal da loja.

Ou seja, quanto mais produtos e mais vendas, maior a mensalidade. Além disso, você também deverá pagar uma taxa por cada venda realizada.

Também será necessário investir em anúncios para conseguir o tráfego que, desta vez, não terá ninguém trazendo-o “gratuitamente” para você.

Dessa maneira, dependendo do fluxo de vendas e se você não tem muito capital para criar algo próprio, alugar uma loja pode ser uma boa opção.

Pois, sua mensalidade será de acordo com os resultados e pode ser um bom caminho para quem está começando a crescer e pretende conquistar um local no mercado.

Mas lembre-se, ao alugar sua loja, você ficará dependente somente da empresa ao qual locou. Se decidir migrar de fornecedor, só levará contigo seus dados cadastros, isso se conseguir migrar os dados. Todo o restante precisará ser refeito.

Lojas próprias

E por último, mas não menos importante, nós temos a lojas próprias…

Diferente das duas opções citadas acima, onde você irá utilizar sistemas e plataformas de terceiros, ao criar uma loja própria é tudo seu.

Nessa modalidade, não existem cobranças e taxas extras por venda, assim como não tem limites de produtos ou pedidos. O que você pagará será somente a transação do gateway de pagamento e da infraestrutura.

Claro que para criar uma loja própria, você terá de investir um pouco mais inicialmente com a criação dos sistemas, integrações de fretes e por aí vai.

Porém, a médio e longo prazo esse valor se torna irrisório devido ao fato de que você estará completamente livre de mensalidades e sem obrigações com plataformas de terceiros.

Para criar um loja própria, você poderá contar conosco. Temos um time de especialistas em criação de ecommerces, capazes de criar uma loja virtual sob medida para o seu negócio.

Além disso, quanto ao tráfego de usuários, com a Flow Digital você consegue garantir um bom fluxo através de estratégias de SEO e outros benefícios que você pode conferir clicando aqui.

Qual é a melhor escolha?

Como disse acima, aqui na Flow Digital nós trabalhamos exclusivamente com a criação de ecommerce próprios utilizando o WooCommerce como base.

Porém, não é por isso que esse é o melhor modelo para você!

Como vimos, cada caminho oferece suas vantagens e desvantagens, portanto tudo depende de como está o planejamento do seu empreendimento.

Se você está começando com pouco capital e poucos produtos, talvez o Marketplace seja a melhor opção para dar um pontapé inicial.

Afinal de contas, você não precisará se preocupar com mensalidades e nem em desembolsar nenhum centavo imediatamente.

Porém, se você já atua com mais produtos e prevê um número maior de vendas, “alugar” uma loja pode ser uma boa opção.

Lá você irá pagar taxas menores a cada venda realizada e ainda se livra da concorrência desleal que pode ocorrer nos marketplaces.

Agora, se você possui um capital bacana para iniciar sua loja virtual e não quer ficar preso a ninguém, criar uma loja própria – principalmente com os benefícios da Flow – será a melhor opção.

Então, o importante é que você analise o seu projeto e escolha a opção que melhor se encaixa no seu modelo de negócios.

APRENDA COM NOSSO CONTEÚDO

Leia também esses artigos

Fechar Menu