(19) 99769-1936  ou  (19) 3325-0902  -  contato@goflow.digital

Conteúdo deste artigo

COMPARTILHE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Conteúdo deste artigo

Persona: o que é e como criar uma persona para a sua loja virtual e ecommerce

Se você já deu uma pesquisada por aí ou trabalha com marketing, provavelmente já deve ter ouvido o termo público-alvo e persona.

Afinal de contas, esses dois termos – que não significam a mesma coisa e eu vou lhe explicar um pouco mais adiante o porquê – são fundamentais para o sucesso da sua loja virtual.

Logo, o que você vai aprender nesse artigo sobre o que é e como criar uma persona será aplicável tanto em um ecommerce, quanto nos negócios físicos.

Por isso, é importante que você acompanhe este artigo até o final para descobrir como você pode vender mais, apenas criando uma persona para o seu negócio.

Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa!

O que é uma persona?

O termo persona está ligado intimamente a duas coisas: público-alvo e personagem. Então, primeiro vamos compreender o que é o público-alvo.

Se você já sabe, pode economizar um tempinho pulando o tópico a seguir.

Público-alvo

O público-alvo é, como o nome sugere, o público que você pretende ou precisa atingir com o seu negócio.

Ou seja, são aquelas pessoas que têm interesse nos seus produtos e serviços e que, por isso, precisam conhecer a sua empresa.

Um exemplo de público-alvo é:

  • Homens;
  • 20 a 35 anos;
  • Casados;
  • Profissionais do setor público;
  • Pretendem comprar acessórios de alpinismo;
  • Com renda mensal entre 03 e 05 salários mínimos.

Basicamente, são informações demográficas sobre os seus clientes, que ajudam na hora de definir preços, escolher linguagens e tipos de mídia para criar anúncios.

Personagem + público alvo = persona

Por sua vez, a persona também utiliza as informações de público-alvo, porém é adicionado a ela um caráter de “personagem”.

Ou seja, basicamente, você precisa desenhar o seu cliente ideal. O tipo de pessoa que costuma comprar o seu produto.

Porém, esse desenho é feito de maneira diferente do público-alvo, pois ele envolve uma pequena descrição e história.

Por exemplo:

  • André Rodrigo têm 27 anos, é casado há alguns anos e trabalha no setor público como professor de onde tira benefícios como estabilidade financeira e empregatícia. Esse emprego rende em torno de R$4.500 por mês, que o André pretende utilizar para comprar acessórios de viagem, principalmente aqueles de alpinismo, já que ele pode utilizar para viajar – que é um dos seus hobbys favoritos.

Note que a persona descrita acima contém todas as informações do público-alvo, porém é mais específica e permite visualizar uma pessoa – ou um personagem.

Apesar de parecer a mesma coisa, a definição de uma persona traz alguns benefícios que somente o público-alvo não é capaz de entregar, como:

  1. Uma estratégia de marketing direcionada a “uma” pessoa;
  2. Criação de peças publicitárias mais assertivas;
  3. Melhoria na linguagem de comunicação;
  4. Facilidade em entender a dor do cliente e vender soluções, etc..

Criando uma história condizente com o seu público, você consegue observar melhor alguns pontos e, por isso, atender a este cliente será infinitamente mais fácil.

Como criar uma persona para o seu negócio

O primeiro passo para criar uma persona, como você deve imaginar, é descobrir o seu público-alvo.

Porém, para poder ter uma persona de qualidade e que realmente surta efeito em suas estratégias de marketing – principalmente digital – é preciso ir um pouco além…

Apenas os dados demográficos são insuficientes para criar o personagem do seu cliente ideal. Por isso, é importante coletar outras informações como:

  • Hábitos;
  • Frustrações;
  • Desafios;
  • Estilo de vida;
  • Quem os influencia (chefes, família, gurus, religião, políticos, celebridades, filmes, etc.);
  • Onde busca informações (blogs, sites, revistas, jornais, livros, etc.);
  • Objeções (o que faz ele desistir de uma compra, o que deixa ele com o “pé atrás”).

Apesar de parecer muita coisa de nível pessoal e que você teria de entrevistar várias pessoas para descobrir…

Não é necessário gastar uma fortuna em pesquisas de mercado para ficar a par dessas informações.

Na verdade, basta você prestar um pouco de atenção nos seus clientes atuais e nas pessoas que podem se tornar clientes.

Para isso, é preciso ir além de apenas guardar as informações de produtos que ela comprou na sua loja, nome, email e telefone.

Por exemplo, se você trabalha ou pretende trabalhar com uma loja virtual de roupas, basta entrar nas redes sociais suas e de seus concorrentes para levantar esses dados.

Uma visita rápida nos comentários de publicações das grandes lojas varejistas fará com que você identifique os principais problemas que os clientes enfrentam.

E para saber se eles são mesmo recorrentes é só ver o número de curtidas e pessoas apoiando o que alguém reclamou, elogiou ou aconselhou.

Para ir mais a fundo, basta clicar em alguns perfis, dar uma olhada nos posts, ver o status de relacionamento, ver quais coisas estas pessoas gostam ou não de fazer.

Se você já vende online, provavelmente deve ter uma lista com os emails de seus clientes. Então, basta dedicar uma ou duas horas para encontrá-los nas redes sociais e fazer essa “investigação”.

Apesar das informações serem de cunho pessoal, a grande maioria não vê problema algum em falar abertamente sobre elas nas redes sociais.

Feito isso, tudo que você precisa fazer – agora – é encaixar as peças e montar a história do seu cliente.

E, nesse momento, não precisa se preocupar com as informações divergentes (afinal de contas, nem todo mundo é igual), pois não é preciso criar apenas uma persona.

Na verdade, você pode definir várias personas para o seu negócio e utilizar cada uma delas para criar uma campanha diferente ou abordar formas diferentes de comunicação.

Um exemplo prático disso é o que o Itaú faz

Eles trabalham com uma linguagem de fácil acesso, com memes e brincadeiras diversas para o público jovem.

Já, para os empresários mais velhos, seus anúncios são focados em outro tipo de comunicação e oferta.

Logo, o produto (neste exemplo, a conta bancária) é o mesmo, porém existem duas ou mais personas interessadas e por isso, cria-se campanhas diferentes para atingir cada uma delas.

Outro exemplo prático disso é a recente criação de peças publicitárias voltadas para o público LGBTQ+…

Isso nada mais é do que a identificação e promoção voltada para uma determinada persona.

Conclusão

Como vimos acima, trabalhar com as personas bem definidas permite que você crie estratégias específicas de marketing.

O que resulta em mais vendas e faturamento para a sua loja virtual e isso pode ser aplicado tanto no mundo digital quanto no mundo físico!

APRENDA COM NOSSO CONTEÚDO

Leia também esses artigos

Fechar Menu